12 setembro 2011

ESTOU VOLTANDO...

DE TOMBOS EM TOMBOS

Tanto fiz, tanto fiz que acabei assim
Sem você e muito machucada!
Ontem, seu amor era só meu...
Hoje, ele é de quem estiver por perto...
Amanhã sei lá, de quem será!
Nesta vida, o amor é assim
sempre nos pregando peças!
Quando pensamos que amamos,
de repente, descobrimos que não!
Quando pensamos ser amados,
de repente, somos abandonados!
E assim vamos levando a vida
de tombos em tombos...
E cada vez que nos levantamos
duma queda, esquecemos
rapidinho da dor...
Levamos outra rasteira e para
o chão novamente somos lançados...
E, lá ficamos inconformados
prometendo não mais
cair em ciladas...
Até que nosso sensível coração
sobreponha a nossa razão...
E de novo somos lançados
a uma nova chama da paixão!
Será que não existe um amor
total, completo, eterno entre
um homem e uma mulher?
Será que temos sempre
que amar sem ser amado
E ser amado sem amar?
Isto me lembra aquela música antiga...
“Quem eu quero não me quer...
Quem me quer mandei embora...
E por isso já não sei o que
será de mim agora..."
Mas, desta vez eu juro, eu prometo não
mais cair e, também não mais derrubar...
Assim quem sabe, serei feliz...
Bem mais feliz!

8 comentários:

Terê. disse...

Hum! meio triste, mias muito lindo e realista, amei, muitos beijos tere.

José María Souza Costa disse...

Acabei de lê o seu poema, e de repente lembrei da música " Samba em Prelúdio", do Vinicius de Moraes. Não sei por que.Mas, de uma coisa, tenho certeza. As mulheres, escrevem com mais nitidez, que os homens.
Parabens, e tenha uma noite agradavel

Graça Pereira disse...

Ai o amor...é tão complicado! Só está bem aonde não está...
Mas há sempre um dia em que se acerta!
Beijo e boa semana.
Graça

Artes e escritas disse...

Não caindo e não derrubando está ao meio do caminho. Um abraço, Yayá.

silvo disse...

Quizás es que nos equivocamos con quien elegimos, besos!

ANTONIO Valentim disse...

SEJA bem-vinda. Aos poucos vou publicando, em forma de capítulos curtos, minha saga em Guaratinguetá nos anos de 1977 a 1979, podendo prolongar-se por anos posteriores.
Conto com a sua visita.
Forte abraço.

claudete disse...

Bela e sapiente volta...estamos aqui para aprender a cair e levantar. Parabéns amiga!

poesias maria do carmo disse...

oi Gena querida,tudo bem?olha,nem sei o que dizer,seu blog está lindo ,seu poema simplismente maravilhoso,bjos.