27 abril 2011

PARA UM AMOR ANTIGO...

MEDITANDO...
®Gena Maria

Hoje estive meditando sobre
Minha vida, meus poemas,
Meus sonhos, minhas ilusões...
E cheguei a várias conclusões:

 "Sou sonhos, sou amor, sou meus versos
Sou saudade, sou ilusão...
Sou alegria, sou tristeza, sou a certeza...
Que estou viva... que amo e sou amada!
 Sou mensagens de alegria, de tristeza,
De desilusão, de satisfação, sou versos
Que falam ao coração...

Sou o soneto, que fala do amor...
Realizado, insatisfeito ou iludido...
 Sou o poema, que implora por amor,
Que sente saudade... que sorri na tristeza...
E muitas vezes, chora de alegria!

 Sou a poesia, em cada verso que digito...
Sou a paixão, em cada palavra que escrevo...
Sou o amor, em todas as suas formas
Expressas em minhas estrofes e versos!

 Sou na maioria dos meus escritos...
Tudo que sinto por você...
Meu único e eterno amor.”

 Marília - 18/08/09
reeditado em 17/04/10
20:51 Horas

11 comentários:

ValeriaC disse...

Lindos e tão verdadeiros seus versos...que te revelam como belo ser que voce é de uma forma transparente e singela.
Minha amiga...tenha um feliz dia...beijos
Valéria

Tatiana disse...

Você nos mostrou o quanto é imenso o seu interior...
E concluiu com uma linda declaração de amor!
Receba os meus apalusos! Lindo demais!

Um abraço carinhoso

Silviah Carvalho disse...

Poema de uma beleza tão verdadeira,paarabéns.

Aninha Zocchio disse...

Que linda Gena!!! A foto, você, suas emoções expostas em versos!!
Feliz aquele que tem um amor assim para recordar e que consegue trasnformar os sentimentos em poema.

Bj!

Malu disse...

Gena, saudades!!!
Belo e terno poema e a imagem da foto está em perfeita sincronia com suas palavras...
Abraços

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um poema sublime. Gostei muito.
Beijinho
Irene

ANTONIO Valentim, disse...

Parabéns. Postei o poema. Caso não concorde, só informar.
Obrigado!

Élys disse...

Agradeço a sua visita em meus blogs e
retribuindo fiquei encantado com este poema de muita ternura e muito sentimento.
Beijos.

O Profeta disse...

Fiz magia com todas as cores que tinha
Fiz aparecer na tela um tocador
Pintei-lhe um violoncelo a preceito
Mas ele não sabia tocar uma música de amor…

O amor nunca acontece sem amor
Esta coisa do amor será fantasia?
Será uma noite vestida de nostalgia?
Será planta envergonhada que floresce ao fim do dia?

Seja o que for, tem o nome de amor
Acho bem que seja assim
Há quem diga que se enraíza para sempre
E floresce como planta de alecrim


Terno beijo

Carla Fernanda disse...

Querida boa noite e bem vinda ao meu blog.
Carla

Ivy disse...

Que bom ter vindo aqui hoje... Belíssimo seu poema!

Se cada vez que vc parar para meditar vc escrever um poema como esse, minha amiga, vou te dizer... Medite, medite muito... e não deixe de me avisar para eu vir me deliciar.

Bjs, amiga, e...

PARABÉNS!!!