04 maio 2010

O DONO DESSAS PALAVRAS
By Silvana Duboc

Ainda que sejam as últimas palavras
que para você eu escreverei
elas serão regadas
com o perfume que eu criei,
com a fragrância que eu inventei.
No dia que meus olhos encontraram os seus
eles deixaram de ser meus.
Nunca mais foi possível controlá-los,
não consegui mais olhar para os lados,
só olhei em sua direção
e quanto ao meu coração
por uns instantes parou de bater
mas devagar essa situação foi possível reverter.
Desde então ele bate num compasso diferente,
ele é calmo porém estridente,
ele criou lábios eternamente sorridentes.
Ainda que essas sejam minhas últimas palavras
não quero que sejam racionadas,
elas hão de retratar com perfeição
tudo que se passa dentro de mim desde então.
Acontece que poesias não podem narrar
sobre um coração que para de bater
e volta novamente a ser
um órgão vital, porém, bem mais especial.
Ainda que sejam essas minhas últimas palavras
que fiquem muito bem gravadas
dentro do seu peito,
o meu eterno e aconchegante leito.
Não tenha dúvidas nem por um segundo
que essas palavras vão rodar o mundo
mas o único dono delas é você
e seu nome sei que nem preciso dizer.
Você sabe bem que só existe um único alguém
para quem tudo isso eu poderia escrever.

Foto e poema de Silvana Duboc
uma querida amiga:


Só algumas publicações da Sil, tem trocentas mil, rsss!
Bjs da Gena

5 comentários:

Mila disse...

Lindo poema...
Parabéns a sua amiga e a você por dividi-lo conosco.
Bjs
Mila

Zé Carlos disse...

GM a Sil Duboc é fabulosa.... Bjs

Pérola disse...

Muito obrigado pela visita minha querida.
Beijokas.

Pecados da mesa disse...

Olá;
Maravilhoso o poema.
Parabéns!
Vou te sgeuir.
Vem cometer pecados da mesa e me conhecer.
Beijo!
Maria Paula

silvana disse...

Geninha, adorei!!!!!!!
Valeu pelo carinho
Bjocas
Sil Duboc